O antifrágil em tempos de crise

Há tempos o mundo em que vivemos muda em velocidade muito acelerada, de grandes incertezas e complexidades. O mundo dos negócios passou a utilizar um termo criado pelo exército americano para situações de guerra, que é o VUCA (Mu-VUCA), acrônimo em inglês de volatility (volatilidade, mudanças rápidas), uncertainty (incerteza, imprevisibilidade), complexity (complexidade, muldisciplinar) e ambiguity (ambiguidade, várias verdades ao mesmo tempo). Acrescenta-se ao momento atual o Meaningful (senso de propósito, sentido no que fazemos) a forma como nos relacionamos para o bem comum, e o Universal (universal, impacto global das nossas ações).

Para se viver e conviver neste momento entra em cena uma habilidade essencial, que é a antifigragilidade.  

Você já deve ter ouvido falar da palavra resiliência, que está associada a física, em que algo muda diante de uma situação de estresse, mudança e gestão de crise, superando essa fase, retornando a neutralidade. O antifrágil consegue aprender e enxergar as oportunidades, superando fases de estresse, mudanças e crises.  

Sem a MUVUCA: caos, desordem, velocidade, incerteza e mudanças rápidas, não há possibilidade em aprender, reaprender, melhorar e evoluir.

A mentalidade antifrágil é importante para que saibamos lidar com riscos e incertezas nas diversas áreas da vida e no mercado de trabalho, que por exemplo é extremamente competitivo, onde o antifrágil acaba sendo um sobrevivente, que é consciente do caos e seus estressores, encarando com naturalidade buscando aprender e melhorar.

Num momento exponencial de crises, ser antifrágil vai permitir a você crescer e passo a passo construir ações para sua vida e carreira.

Para mapear a sua antifragilidade, sugiro as seguintes reflexões:

– Quando estou a frente de novos cenários e projetos ou realizando planejamentos, considero a existência de cenários inesperados?

– Durante o meu dia a dia de trabalho, na maior parte do tempo eu abraço os desafios ou busco estabilidade e mudanças que eu possa controlar?

– Em um projeto, quando recebo a notícia de que ele irá mudar completamente e tenho que readequar minha rotina e a forma de trabalhar em mais de 70%, fico assustado, motivado ou apreensivo?

– Se a empresa passa por dificuldades e momentos de grande reestruturação, impactando em todas as áreas, eu: busco saídas todos os dias, avalio a reação do mercado e me adapto a ele ou penso que isso é culpa do governo ou da gestão e não posso fazer muita coisa?

Após essas reflexões, quais aprendizados você retirou? Quais insights você teve? Importante colocar que todos nós teremos momentos de fragilidade, resiliência e de desenvolvimento da antifragilidade. O mais importante é você mapear os contextos dos momentos em que você está vivendo agora, seja na carreira ou na vida pessoal. Qual é a sua avaliação quanto ao seu comportamento? Esta sendo apenas resiliente ou esta procurando aprender e desenvolver tomadas de decisões utilizando a sua antifragilidade?

Neste momento em gestão de mudanças, a questão de se reiventar, aprender, desaprender para novamente reaprender fará toda a diferença na sua gestão de emoções.

Para o exercício da antifragilidade, frente a uma situação de desafio, é necessário sair da zona de conforto, em que se busca segurança, se espera a crise acontecer e os impactos aparecerem para supera-los, tem-se medo da mudança e busca-se pela estabilidade, para entrar na zona da curiosidade, sempre em busca de desenvolvimento de novas habilidades para lidar com o desafio e os problemas que surgem, assume-se os riscos e vai com medo mesmo, superando os desafios diariamente, alcançando a zona de superação e resultados. Na antifragilidade aproveitamos o caminho, atingimos metas e continuamos em movimento! Para alcançar esse modelo de antifrágil é preciso durante esse processo experimentar, verificar e avaliar se esta dando certo e se precisa de ajustes. O aprendizado é constante.

No modelo antifrágil você prevê e antecipa as mudanças, você encara olhando quais são os erros, quais são os acertos, de que maneira você pode enfrentar com muito mais força e inteligência emocional.

Comentários

Comentários